Este site usa cookies e tecnologias afins que nos ajudam a oferecer uma melhor experiência. Ao clicar no botão "Aceitar" ou continuar sua navegação você concorda com o uso de cookies.

Aceitar

Yoga para Crianças

Como despertar qualidades valiosas para trabalhar com yoga Infantil

Como despertar qualidades valiosas para trabalhar com yoga Infantil
Junte-se a mais de 6 mil pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

5/5 - (1 vote)

Certo dia, eu fiz um post no Instagram e perguntei para meus seguidores quais as habilidades essenciais para trabalhar com Yoga para crianças. Amei as respostas! Diante das colocações, vimos que, para todos, as habilidades mais importantes são principalmente qualidades que temos que despertar dentro de nós mesmos. Assim, seguindo uma profunda e variada leitura a respeito do que estudiosos escreveram, surgiu-me uma grande vontade de escrever sobre como podemos despertar essas qualidades.

Segue comigo, vamos refletir sobre como despertar qualidades essenciais para aprimorar o nosso trabalho com os pequenos…

Uma das pessoas que fez um comentário nesse post falou sobre a DELICADEZA. Uma qualidade que gosto muito, que gosto de falar sobre ela e que também procuro praticá-la quando estou com as crianças é a delicadeza.

Lembrei-me de certa ocasião em que eu estava com uma criança, em uma escola que fundamos em São Paulo, chamada Arte de Ser – nesta escola, as crianças meditam, praticam Yoga e aprendem sobre a arte de viver. Essa criança foi presenteada com uma maravilhosa oportunidade de ser apadrinhada por uma família e, assim, pode frequentar nossa escola.

Certa vez, ela teve uma reação, que frequentemente repetia, porque ela vivia uma avalanche de emoções, devido a muitas situações desafiadoras que estava vivenciando em sua vida. Diante de muitos sentimentos e sensações que afloravam dentro dela, quando ela estava conosco sentia que podia mostrar livremente tudo que estava reverberando em seu coração.

Naquele dia, ela teve comigo uma reação muito agressiva e violenta. Mas o que eu pude sentir muito forte, dentro de mim, foi uma enorme sensação de amor e compaixão por aquele ser, que estava vivendo, desde tão pequenina, fortes desafios.

Naquele momento, eu fui presentada com a oportunidade de DESPERTAR uma gigante delicadeza dentro de mim e foi essa delicadeza que me ajudou a conduzir aquela situação de forma prática, lúdica e amorosa. Dessa forma, posso dizer que para despertar a delicadeza e outras qualidades maravilhosas para trabalharmos com as crianças BASTA ESTARMOS INTEIROS NO MOMENTO QUE ESTAMOS JUNTOS COM ELAS.

Há uma qualidade expressa no post que quem trabalha com Yoga para criança vai sempre ter a oportunidade de colocar em prática: a PACIÊNCIA. Eu faço um serviço voluntário há mais de trinta anos com crianças e suas famílias. Quanta gratidão eu tenho em meu coração por ter esse presente na minha vida. Nesses encontros, as crianças meditam e fazem Yoga.

Certo dia, estávamos com mais de vinte crianças – e elas estavam a todo vapor, animadas e felizes!  Porém a animação era tanta que se transformou em uma grande agitação. Naquele momento, elas tinham que ir para a aula de Yoga comigo. Chegaram no espaço onde eu estava. Eu estava super zen, sentada, com o local todo preparado, tudo um astral! Eis que de repente entra uma onda de lindas crianças muito animadas, mas também bem agitadas.

Naquele momento, parecia que alguém tinha colocado a mão dentro de mim e arrancado toda aquela calma que estava reverberando em meu coração. Sabe aquela sensação que temos às vezes: “Poxa, arrancaram a minha paz!” Pois é, foi assim que me senti.

Logo, porém, como um despertar me veio um pensamento muito forte: “Respira Cris, respira!” Em seguida, surgiu a brilhante ideia de convidar as crianças para respirar juntas comigo. Então, comecei a dizer para elas: “Gente, eu estou muito agitada, parece que estou nadando na onda da agitação de vocês, vamos respirar juntos, eu quero me acalmar e vocês vão me ajudar.”

Assim, fui ajudando um por um, pedindo que a criança deitasse e respirasse, comecei a falar com a linguagem de meu coração com cada uma e, assim, conseguimos iniciar a aula com um breve relaxamento. Foi um dos momentos mais belos que já vivi por perceber que a paciência é uma das qualidades mais valiosas para quem trabalha com crianças. Mas, naquele momento, também tive a certeza de que para despertar a PACIÊNCIA o mais importante é O PROFESSOR MEDITAR ANTES DE ESTAR COM AS CRIANÇAS E, O MELHOR, MEDITAR TODOS OS DIAS.

Teve outra qualidade que foi mencionada nesse post: o IMPROVISO. Realmente, improvisar é algo que sempre vai está rondando o nosso trabalho com as crianças. Muitas vezes, planejamos uma aula e até nos apaixonamos por ela antes mesmo de vivenciá-la com as crianças e, muitas vezes, nosso ego se apega, e isso pode atrapalhar nossa capacidade de improvisar. Mas quando temos a certeza de que o improviso diante do imprevisto pode ser uma habilidade essencial para um professor de Yoga para crianças, nós colocamos nosso ego de lado e improvisamos com alegria e leveza.

Sabe quando você organiza uma aula com todo amor e sente um certo orgulho por tudo ter ficado tão fofo e lindo, tanto que o ego até fica saltitando?! Pois é, assim eu estava na penúltima aula que ministrei online, no ano de 2021 para um menino e sua mãe. Logo que iniciamos a aula, esse aluno, muito fofo por sinal, disse: “Eu não quero ouvir essa história, eu quero aula com as músicas do teu livro, Cris.”

Na hora, eu senti uma força gigante e natural: Pratique o improviso, saia do seu planejamento que você está amando tanto! E, assim foi, eu disse : “Certo, que tal começar com a música do balão? Nos preparamos, e eu conto a história. Depois, juntamos a história com as músicas?” Assim foi… a aula fluiu tão gostosa e leve.

Dessa forma, um jeito que percebo que nos ajuda a despertar o IMPROVISO É QUANDO NOS DEDICAMOS A TRABALHAR A ACEITAÇÃO. Pois é, podemos ter que improvisar por diversos motivos, mas é importante estarmos abertos para aceitarmos naturalmente as ideias das crianças e outras situações, como por exemplo, mudança de ambiente…

Você pode ter planejado uma aula para realizar em determinado ambiente e, de repente, por algum motivo, pode ter que ministrar a sua aula em outro lugar. Nesse caso, o improviso será necessário. No entanto, se ficamos chateados, impacientes e intrigados, podemos nos perder na “não-aceitação” dessa situação e perdermos a chance de deixar que nossa capacidade de improvisação venha à tona. Portanto, para mim, a capacidade de aceitação é valiosa para podermos despertar o IMPROVISO.

Em relação ao improviso, cabe-me ressaltar que sempre, mas sempre mesmo, para aprendermos a despertar a capacidade de improvisar é necessário planejar. Isso porque, ao planejar, você pensa na criança, na turma ou na família que estará com você. Ao planejar, você sabe onde você está e onde quer chegar, assim, você pode improvisar de forma mais segura. Mesmo que não dê para unir o planejamento à situação que leva você a improvisar, ainda sim, planejar será sempre o caminho mais seguro e mais respeitoso com aqueles que estão conosco.

Outro ponto a ser dito é que o improviso pode virar um hábito, um vício e podemos deixar de planejar, de criar um ritmo de conteúdos. O risco que se corre é que o nosso trabalho com os alunos pode ficar um tanto solto, sem um norte, ficamos sem saber o que vamos ensinar. Podemos, assim, deixar de ensinar conceitos e valores essenciais para as crianças que estão aprendendo Yoga conosco.

No post, algumas pessoas apresentaram outras qualidades ou habilidades, tais como: criatividade, bom humor, ouvidos atentos, falar o necessário, carinho, amor, atenção, sensibilidade, flexibilidade, muita dedicação, gentileza. Quero, então, finalizar este texto apresentando duas grandes ferramentas que nos ajudam muito a ir despertando essas qualidades.

A primeira delas é a autoanálise. Sempre é muito importante olharmos para nossas ações diante das crianças para observarmos e percebermos quais as qualidades que já temos e que estamos conseguindo colocar em prática nos momentos que estamos com os pequenos. E, também, quais as qualidades que estamos precisando despertar, pois, como dizem os grandes iogues, todas as belas qualidades estão vibrando em nossas almas, elas estão ali, esperando o momento para serem despertadas.

Outra ferramenta é a meditação. Sabe-se que a meditação é uma das ferramentas mais eficientes para que possamos sentir essas belas qualidades da alma. E mais: a meditação desperta em nós a determinação, o interesse de colocar em prática aquilo que vamos sentindo dentro de nós mesmos. Todo aquele que medita vai percebendo que, com o tempo, torna-se capaz de levar para sua vida diária as belas qualidades que reverberam em sua alma.

Há um detalhe muito especial que, em relação a esse assunto, vale colocarmos em um lugar de destaque: é o fato de que à medida que cada educador vai colocando em prática essas qualidades, as crianças também vão aprendendo como levá-las para a sua vida. Assim, cada pessoa que convive com as crianças faz a diferença ao praticar qualidades tão especiais tais como a paciência, a calma, a delicadeza e a improvisação.

Aqueles que convivem com as crianças (seja aluno, filho, neto, sobrinho, afilhado, irmão ou amigo…) podem através do EXEMPLO mostrar aos pequenos o quão valioso é tornar cada bela qualidade da alma uma experiência viva tanto nos períodos de desafio quanto nos momentos serenos.

Certo dia, um menino, que estuda na escola Arte de Ser em São Paulo, estava vivendo um momento desafiador em sua aula de natação. Outro aluno estava fazendo algo que nem o menino nem o professor estavam gostando. Eles não conseguiram  ajudar esse aluno, e ele não parava de incomodar… Esse menino saiu da água, sentou na postura de meditação, meditou e disse: “Professor, agora estou calmo, posso voltar a nadar.”

Assim, podemos concluir que a criança não apenas vê o exemplo, mas ela leva para a sua vida o que aprende, ela percebe a beleza, a leveza, a paz  – e lá ela quer estar… Além disso, ela passa ser um exemplo para as outras crianças. Imagina que bela cena esse aluno testemunhou. Certamente, essa sementinha pode germinar um dia, e o menino pode reproduzir tal comportamento e experimentar a mesma calma que a criança que meditou vivenciou. Esse tipo de  história nos inspira a sempre procurar ajudar a todos os seres a despertarem as belas qualidades que em suas almas sempre estão a brilhar!!!

 

VOCÊ ESTÁ PRONTA PARA ENSINAR YOGA PARA CRIANÇAS SEM PRECISAR DE  CURSO SUPERIOR?

PARTICIPE DA FORMAÇÃO ONLINE

“Como Ensinar Yoga para Crianças – Turma 6 Metodologia  “Amor em Ação” com Cris Pitanga

De 14/09 à 27/11/2022

Clique no link abaixo:

FORMAÇÃO ONLINE

 

Olá,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado.

4 × cinco =

error: Content is protected !!