Afetividade e Limite na Prática da Yoga com as Crianças

Disciplina na Aula de Yoga para Crianças

As técnicas da Yoga, as posturas, os métodos de concentração, respiração e relaxamento já facilitam grande parte do trabalho do professor no que diz respeito à disciplina, pois as técnicas em si trabalham o corpo, mente sentimentos e emoções.

Porém, estamos vivendo numa época em que muitas crianças estão apresentando emoções, sentimentos e comportamentos que precisam ser reprogramados. Cabe aos adultos ajudá-las a criar novos comportamentos e novos hábitos. Pois, como disse Sri Yukteswar”As crianças deveriam aprender a comportar-se em todas as situações”.

O professor de Yoga para crianças pode levar para seus alunos um diferencial em termos de disciplina, ajudando-os a repensarem suas atitudes e tomarem soluções mais elevadas.

O importante é que sejamos firmes, fortes e ao mesmo tempo amorosos, delicados e pacientes, apresentando propostas que encorajem os alunos a terem atitudes e comportamentos corretos e positivos. Mas nunca devemos agir contra o aluno, principalmente diante dos outros.

Muitos alunos considerados “problemas” podem melhorar maravilhosamente, quando os professores aceitam os sentimentos e emoções, auxiliando-os a perceber o mau comportamento e ajudando-os, com amor e boa vontade, a transformar suas atitudes.

Relações Interpessoais

 

“Quando conseguimos resolver nossos conflitos interpessoais, nos sentimos cada vez mais seguros, confiantes e mais felizes com quem convivemos”.

Quando o professor vivencia algum desafio de relacionamento com um aluno, ou entre alunos, deve aproveitar a situação como uma oportunidade para buscar soluções junto com eles, tendo assim a chance de sentir a alegria e o prazer, de ter os desafios humanos resolvidos através do diálogo.

Quando o aluno percebe que o professor conhece o conteúdo que está ensinando, mas que também tem habilidade de lidar positivamente com os sentimentos, emoções e com as dificuldades do relacionamento humano, mais confiança o aluno terá nas intervenções do professor.

Assim, devemos valorizar cada minuto de contato com os desafios ligados ao relacionamento com nossos alunos, pois é impressionante como podemos nos surpreender, com as soluções e posturas apresentadas por crianças e adolescentes às questões que, juntos com eles, procuramos melhorar e resolver.

A Importância do Limite

As crianças e adolescentes necessitam de uma definição clara do que podem e do que não podem fazer, em termos de comportamento. Sentem-se mais seguros quando conhecem os limites.

Deve haver diálogos entre crianças, adolescentes e adultos. Para que os limites fiquem bem claros, a função do adulto é a de também esclarecer a lei e as regras. Mesmo que a criança desrespeite essa lei, o importante é que ela exista e seja discutida. Se o adulto se omitir estará passando uma imagem de bonzinho, que tudo permite. Mas se mostrar bem o seu papel, que é também o de representante da lei, a criança se sentirá mais segura e amadurecida para a vida. O limite pode ser visto com uma demonstração de amor: ele protege e dá segurança às crianças e jovens.

Os responsáveis devem, porém, tomar cuidado para não dar as soluções, mas ter paciência em ensiná-los a achá-las e, ainda, a avaliar as soluções que escolheram. Muitas crianças e adolescentes costumam ser muito rígidos consigo mesmos, assim, o adulto poderá ajudá-los a dosar suas decisões.

Os adultos estão sujeitos a ter reações inesperadas e a cometer erros, entretanto, o importante é não limitar sua criatividade e vivenciar cada momento como uma oportunidade de ter relacionamentos cada vez mais profundos com as crianças e jovens.

Como Lidar com Sentimentos e Emoções

duda-namaste

Todo professor de Yoga tem a proposta de ajudar as crianças e jovens a despertar a paz, o amor, a alegria, a coragem, a paciência e a tolerância que existe dentro delas. Por isso, gostaria de ressaltar o quanto é importante o professor procurar despertar tais qualidades, através do desenvolvimento de sua espiritualidade, despertará a sabedoria e o discernimento, chaves que poderão auxiliá-lo a lidar com seus alunos de forma madura.

Quando estamos estressados, nervosos, agitados, desconcentrados, ansiosos, tristes, chateados ou angustiados, precisamos muitas vezes de ajuda para aliviar nossa dor. Imaginem o que a criança sente quando tem um ou vários desses sentimentos juntos.

Os adultos, sozinhos, podem encontrar uma forma para aliviar sua dor, agora, as crianças não sabem o que fazer com as delas. Em função disso, podem apresentar comportamentos negativos, que são na verdade, um pedido de socorro. Como não sabem dizer diretamente o que estão sentindo e nem sabem o que fazer com sua dor, as crianças criam hábitos e atitudes que são formas de aliviar sentimentos e emoções.

Todo ser humano, por menor que seja, quer ser compreendido. Assim, o educador deveria desenvolver a habilidade de perceber os sentimentos e emoções que estão por trás do comportamento das crianças e adolescentes. Desta forma, fica mais fácil ajudá-los a transmutar esses sentimentos e a entender que precisam modificar seu comportamento.

Como já dissemos, a Yoga é um grande recurso para ajudar as crianças e jovens a aliviarem ou até curarem sentimentos e emoções, mas o professor deve estar sempre alerta, caso continuem apresentando determinados sintomas. Ele deve procurar junto com a família formas de ajudá-los e encaminhá-los a outros profissionais, caso seja necessário.

Quando, como pais ou professores, procuramos nossa própria cura, podemos descobrir formas de aprender a lidar melhor com crianças e jovens. Basta querer, arregaçar as mangas e buscar o nosso próprio crescimento, pois assim, a criança cresce e amadurece junto conosco.

A criança que apresenta um comportamento negativo, precisa que o adulto esteja mais próximo, ajude-a a encontrar luz em seu caminho. O adulto poderá ajudá-la a buscar uma conexão com sua essência, com seu lado divino, umas das formas que nos leva ao equilíbrio.

Autonomia

yoga-para-crianca

A autonomia se desenvolve através da troca de idéias, de pontos de vista e confrontos positivos. Numa situação em que o professor coloca sua opinião como mais uma entre outras possíveis, dizendo, por exemplo: – este barulho está me perturbando! Perturba mais alguém?

No desenvolvimento da autonomia, o posicionamento dos colegas é mais favorável do que a do adulto, porque com os colegas, a criança está em pé de igualdade.
A autonomia é baseada no respeito mútuo, na solidariedade; quando as pessoas se tornam autônomas são capazes de cooperar verdadeiramente.

Por que a autonomia é importante? Quando a criança tem autonomia é sinal de que ela teve a oportunidade de manifestar livremente seus sentimentos e emoções, pode falar, dar sua opinião, cooperar, participar de decisões coletivas. Por isso, sugerimos que todo tipo de conflito ou de decisões envolva a participação da criança, para que aprenda a analisar situações, perceber os sentimentos dos outros e os dela mesmos, para aprender a encontrar soluções positivas.

Experiências que ajudem as crianças ou adolescentes a serem autônomos, tanto em casa, como em outros ambientes que freqüentem, serão de grande importância para suas vidas, pois quanto mais aprenderem a pensar, sentir e agir positivamente, terão condições de levar suas experiências para outras situações de suas vidas.

A melhor autonomia é aquela em que a criança ou o adolescente aprende a se interiorizar e dentro de si mesmo, encontrar a sabedoria, o discernimento para atuar no mundo com autocontrole e, principalmente, agir a partir do centro de seu coração!

Para saber mais sobre os benefícios da Yoga para crianças na clique na imagem abaixo e conheça o meu novo ebook:

banner-ebook-yoga-para-criancas